home notícias

TRAGÉDIA NA GÁVEA: O que se sabe até o momento

Dez pessoas morreram  no incêndio que atingiu o Centro de Treinamento do Flamengo no início da manhã da última sexta-feira (8). Todas as vítimas foram identificadas: eram atletas da base do time – tinham entre 14 e 16 anos. De acordo com o clube, há três jovens internados, dois deles em situação estável e conscientes; o terceiro está em estado grave. O fogo destruiu parte dos alojamentos do Ninho do Urubu, em Vargem Grande, Zona Oeste do Rio.

As chamas atingiram as instalações onde dormiam jogadores entre 14 e 17 anos que não residiam no Rio. A suspeita é de que a causa foi um curto-circuito em um ar-condicionado. Seis contêineres interligados serviam de dormitórios.

Em nota, a Prefeitura do Rio afirmou que o dormitório não tem licença municipal. "A área de alojamento atingida pelo incêndio não consta do último projeto aprovado pela área de licenciamento, no dia 5 de abril de 2018, como edificada", diz o comunicado.

A prefeitura informou ainda que o Centro de Treinamento do Flamengo teve quase 30 autos de infração por estar funcionando sem o alvará necessário. Um edital de interdição chegou a ser emitido em 2017.

As mortes confirmadas são:

Athila Paixão
Era de Lagarto, Sergipe, e jogava no clube desde março de 2018.  Faria 15 anos no dia 11 de março.

Arthur Vinicius
Morava com a mãe e a tia em Volta Redonda, no RJ, e completaria 15 anos neste sábado (9). Era zagueiro e jogava no Flamengo havia três anos. No fim de 2018, foi convocado para a seleção brasileira sub-15.

Bernardo Pisetta
Nascido em Santa Catarina, era goleiro e chegou ao Flamengo em agosto. Antes, jogou no Athletico-PR e em equipes de futsal no Vale do Itajaí, em SC.

Christian Esmério 
Goleiro, era uma das principais promessas do Flamengo. Acumulava convocações para as categorias de base da seleção brasileira. No fim do ano, postou uma foto com o técnico Tite.

Gedson Santos
Natural de Itararé (SP), tinha 14 anos. Era atacante e estava no Rio havia uma semana, segundo um tio. Jogou no Athletico-PR e ainda começaria a treinar no Flamengo.

Jorge Eduardo Santos
Tinha 15 anos e era de Além Paraíba (MG). Começou a jogar futebol aos 7 anos e chegou às categoria de base do Flamengo aos 12. Foi capitão da equipe campeã carioca sub-15 em 2018.

Pablo Henrique da Silva Matos
Primo do zagueiro Werley, do Vasco, jogava no sub-17 do Flamengo, era de Oliveira (MG) e morava no centro de treinamento. Segundo um ex-técnico, Pablo estava no sub-15 do Flamengo desde o ano passado.

Rykelmo de Souza Vianna
Tinha 16 anos e atendia pelo apelido de Bolívia. Era natural de Limeira (SP) e jogava no meio de campo, como volante. Ele jogava na categoria de base do Flamengo e iria completar 17 anos no próximo dia 26.

Samuel Thomas Rosa
O garoto de 15 anos era morador de São João de Meriti, na Baixada Fluminense. Preferiu dormir no CT para voltar para a Baixada nesta sexta. Samuel jogava de lateral direito.

Vitor Isaías
Nascido em Santa Catarina, tinha 15 anos. Era atacante e tinha seis meses de Flamengo. Começou a carreira no futsal do Figueirense.

Feridos:

Cauan Emanuel Gomes Nunes, 14 anos
Francisco Diogo Bento Alves, 15 anos
Jhonatan Cruz Ventura, 15 anos (está em estado grave)


Cauan Emanuel
Em 2017, chegou a disputar o Campeonato Cearense pelo Santa Cruz e o Campeonato Futsal Colegial, pelo Salomé Bastos e Falcões da Vila, de Fortaleza. O jogador cearense, de 14 anos, está há três anos no Rio e, desde o ano passado, joga no Flamengo, disputando os campeonatos da categoria de base. 

Jhonatan Ventura
Está internado em estado mais grave, com 30% a 35% do corpo queimado. Natural de Vila Velha (ES), ele tem 15 anos e atua como zagueiro no time de base. Por volta das 9h45, ele passava por uma cirurgia no Hospital Lourenço Jorge, e depois será transferido para o Hospital Pedro II, referência no tratamento de queimados.

Francisco Dyogo
É goleiro da base rubro-negra e, segundo informações da Secretaria Municipal de Saúde, está fora de perigo. Ele, que tem 15 anos, chegou ao Rio em janeiro de 2018.

 

Com informações do G1

 

OUTRAS NOTÍCIAS

18/02/2019
Reforma da Previdência será enviada ao Congresso na quarta
A partir desta quarta-feira (20), o governo enfrentará o primeiro grande desafio na área econômica. A proposta de emenda à Constituição (PEC) que reforma o regime de Previdência dos trabalhadores dos setores público e privado será enviada ao Congresso Nacional, onde começará a tramitar na Câmara dos Deputados. Logo depois de assinar o texto, o presidente Jair Bolsonaro fará um pronunciamento. Ele explicará a necessidade de mudar as regras de aposentadoria e de que forma a proposta será discutida no Congresso. Na última quinta-feira (14), o secretário especial de Previdência e Trabalho, Rogério Marinho, adiantou alguns detalhes do texto, fechado em reunião entre o presidente Jair Bolsonaro e os ministros da Economia, Paulo Guedes, da Casa Civil, Onyx Lorenzoni, e da Secretaria de Governo, Carlos Alberto dos Santos Cruz. Os pontos revelados até agora são a idade mínima de 65 anos para homens e 62 anos para mulheres, com um cronograma de transição de 12 anos para quem está próximo dessas idades. O acordo foi resultado de uma negociação entre a equipe econômica e o presidente Bolsonaro. Originalmente, a equipe econômica tinha pedido idade mínima unificada de 65 anos para homens e mulheres, para os trabalhadores dos setores público e privado. O presidente gostaria de uma idade mínima de 65 anos para homens e 60 para mulheres. A área econômica defendia dez anos de transição, o presidente pedia 20 anos.   Fonte:Agência Brasil
SABER MAIS
18/02/2019
Governo determina medidas de precaução para barragens em todo o país
Por recomendação da Agência Nacional de Mineração (ANM), o Ministério de Minas e Energia (MME) definiu uma série de medidas de precaução de acidentes nas cerca de mil barragens existentes no país, começando neste ano e prosseguindo até 2021. A medida inclui a extinção ou descaracterização das barragens chamadas "a montante" até 15 de agosto de 2021. A resolução está publicada, na seção 1, página 58, no Diário Oficial da União. “Essa resolução estabelece medidas regulatórias cautelares, objetivando assegurar a estabilidade de barragens de mineração, notadamente aquelas construídas ou alteadas pelo método denominado "a montante" ou por método declarado como desconhecido”, diz o texto. Em três meses, a diretoria colegiada da agência vai avaliar a execução das medidas.“A Diretoria Colegiada da ANM, até 1º de maio de 2019, reavaliará as medidas regulatórias cautelares objeto desta resolução e, se for o caso, fará as adequações cabíveis considerando, dentre outras informações e dados, as contribuições e sugestões apresentadas na consulta pública.” Riscos Há 84 barragens no modelo denominado a montante em funcionamento no país, das quais 43 são classificadas de "alto dano potencial": quando há risco de rompimento com ameaça a vidas e prejuízos econômicos e ambientais. Porém, no total são 218 barragens classificadas como de “alto dano potencial associado”. Pela resolução, as empresas responsáveis por barragens de mineração estão proibidas de construir ou manter obras nas chamadas Zonas de Autossalvamento (ZAS). A resolução é publicada menos de um mês depois da tragédia de Brumadinho, nos arredores de Belo Horizonte (MG), na qual 169 pessoas morreram e ainda há 141 desaparecidos com o rompimento da barragem da Mina Córrego do Feijão.       Fonte:Agência Brasil
SABER MAIS

Peça sua Música

Por favor preencha todos os campos

Contato enviado com sucesso

Top